wild gengibre kahili

nome popular-gengibre silvestre-de-kahili,
Gengibre-de-kahili, Gengibre-amarelo, Líro-do-brejo-amarelo, Conteira
especie-hedychium gardnerianum
origem-Índia
 
 
 we’re developing efforts to proceed, in the shortest amount of time to presentation of this website also in English and French. It is a time consuming job, whose articles are being presented, gradually. We regret this inconvenience
 
nous développons des efforts de procéder, dans le plus court laps de temps à la présentation de ce Website aussi en Anglais et en Français. C’est un travail fastidieux, dont les articles sont présentés progressivement. Nous regrettons cet inconvénient
 
 —DISPONÍVEL—
 —not for export—
 
fonte
foto: www.ecologicstation.com
texto: http://en.wikipedia.org/wiki/Hedychium_gardnerianum

Hedychium gardnerianum (Kahili Gengibre, Ginger Lily (Aust.)) é uma planta nativa do Himalaia, na Índia, Nepal, Butão e. Cresce até 8 pés (2,4 m) de altura com folhas longas, verdes brilhantes apertando as hastes de altura. As pálidas flores amarelas e vermelhas sãomuito perfumadas formando-se em pontos acima da densa folhagem. Elas aparecem no final do verão.

Hedychium gardnerianum é a espécie mais cultivada das Hedychium como planta ornamental em jardins e parques. Ela prefere um clima quente tropical, embora possa prosperar em regiões sub-tropicais e temperadas ao tolerar luz e geadas pouco freqüentes.

A planta é uma séria espécie invasora em determinadas áreas. É conhecida como “gengibre selvagen Kahili” e está classificado como uma erva daninha de preocupação na conservação em terras da Nova Zelândia [1] , Havaí [2] e os Açores [3] .

Ficou reconhecido como uma das “100 Piores Espécies Exóticas Invasoras do Mundo” pela IUCN Grupo de Especialistas em Espécies Invasoras (ISSG).

fonte
foto
texto:http://www.ecologicstation.com

As  zemziberaceas, são plantas Tropicais, que se encontram entre as minhas favoritas tenho-as vindo a produzir ao longo de vários anos, particularmente a “Hedychiums Gardnerianum”, popularmente conhecida por gengibre kahili. (Zingiberaceae) foi introduzida como planta ornamental na Ilha de São Miguel, mas mais tarde torna-se uma planta dominante, com a capacidade de substituir completamente a vegetação nativa (Palhinha et al. 1942). Originaria do Himalaia, é naturalizada em todas as ilhas dos Açores e na Madeira, onde se transformaram em plantas invasoras, a coberto das condições climáticas excepcionalmente favoráveis que encontraram, Nova Zelândia, África do Sul, Ilha de Reunion e no arquipélago havaiano. Nos Açores, onde foi provavelmente introduzida no século 19, é uma das mais freqüentes e abundante planta invasora. Não está apenas presente ao longo das margens do córrego, mas também na vegetação nativa, a partir do nível do mar até aos cerca de 1000 m. Geram, ao longo dos anos um forte sistema  raticular de 6 pés encimado por uma cabeça densa de flores que se formam no final do verão com um maravilhoso aroma. Elas são bem mais resistentes do que a maioria das pessoas imagina especialmente se tivermos em linha de conta alguns cuidados a ter nas estações mais frias do ano dotando-as de  abrigos a norte e lhe proporcionarmos alguma cobertura de proteção, elas vão sobreviver facilmente às geadas. No entanto e uma vez que a nossa estação de crescimento é curta elas teem dificuldade em atingir a maturidade na floração, se não tiverem um determinado número de horas de exposição solar. A alternativa é desenterrá-las e colocá-las em vasos grandes para lhe proporcionar a floração mesmo que tardia e  de inverno transportar para um ambiente  de estufa  para que o ciclo vegetativo se inicie no início da primavera.

 

fonte
foto
texto: http://www.jardineiro.net/br/banco/hedychium_gardnerianum.php

O gengibre-de-kahili é uma planta herbácea, palustre, tropical, de porte arbustivo e florescimento decorativo. Seu caule é do tipo rizoma, horizontal, de onde saem os ramos eretos, altos, de até 2,5 metros de altura, formando touceiras verdes e viçosas. As folhas são alternas, verdes, coriáceas, grandes, inteiras, acuminadas, brilhantes, sésseis, de formato oblongo a lanceolado e com uma lígula membranosa. As inflorescências surgem no final do verão e no outono, e são eretas, longas, do tipo espiga, com numerosas flores amarelas, tubulares, perfumadas e com longos estames alaranjados. O fruto é uma cápsula oblonga, com numerosas sementes vermelhas e brilhantes.

No paisagismo, o gengibre-de-kahili pode ser utilizado para compor densos maciços e bordaduras em locais úmidos e que não seriam apropriados para outras plantas, encaixando-se perfeitamente em jardins de estilo tropical. Ele ainda oferece habitat para a vida silvestre, servindo de abrigo para pequenos répteis, anfíbios e outros animais. Também pode ser plantado em vasos e jardineiras grandes. Esta espécie pode se tornar invasiva em algumas situações.

Deve ser cultivada sob sol pleno, em solo fértil, enriquecido com matéria orgânica e mantido úmido. É uma espécie ideal para áreas permanentemente encharcadas, tais como várzeas ou margens de açudes, lagos ou rios, pois tolera o excesso de água. Apesar de tropical, o gengibre-de-kahili tolera muito bem o clima subtropical ou temperado, podendo perder as folhas em um frio intenso ou por ocasião de alguma geada, mas rebrota em seguida na primavera. Multiplica por divisão do rizoma ou das touceiras.

Os comentários estão fechados.