pimenta, (piri-piri), sakana

DSCF8298

nome popular – pimenta, piri-piri, sakana
nome científico -capsicum frutescens
origem – Moçambique
pungência – +++alta+++Schoville Heat Units
 
—DISPONÍVEL—
 
—em lotes de 11, 22, 44, 88, 176 e 352 sementes—
— cotação para lote 11 sementes, 6,30€—
—restantes lotes serão cotados proporcionalmente ao número de sementes sofrendo descontos de 10, 20, 30, 40 e 50%, respectivamente—
 
fonte
fotos 1, 2, 3, 4 e 5: http://www.ecologicstation.com
texto: http://www.ecologicstation.com
 
 
 

Supostamente a pimenta mais disputada e consumida em todo o Moçambique e muito especialmente na área metropolitana de Maputo, é produto dos muitos e sucessivos cruzamentos ao longo de várias gerações tendo-se fixado esta mutação por via de alteração ao código genético de que foi sujeita a nossa tão conhecida brasileira Malagueta, trazida para esta zona do globo pelos navegadores portugueses. A “sakana”, a mais representativa das “piri-piri”, evoluíu até aquela que hoje é,  pela selecção de características e adaptação climática, mostrando-se aos olhos dos especialistas, diferente em tamanho, formato, côr  e pungência dos seus frutos, da sua antepassada.

Em “suahili”,”piri-piri”, significa “pimenta-pimenta”, em sentido lato.DSCF7457

Em Portugal e por desconhecimento das origens e da sua evolução, usam-se indiscriminadamente os termos “malagueta”, “gindungo” e “piri-piri”, sempre resultando daí  inflamada discussão e controversia.

Toda a evolução resulta dessa riqueza e encanto de culturas que se cruzam e da miscigenação com raças tão distintas quanto a negra, branca e indiana.

Como as cultivares existentes hoje em dia são o produto de polinizações cruzadas diversas  ao longo dos anos, existem pequenas diferenças de tamanho, coloração e picância entre as variedades “primas”.

piripiri sacana

A comunidade científica encontrará seguramente matéria para investigação com o objectivo de esclarecer as razões que terão contribuído para o aparecimento de colónias que se ficaram pela Provincia de Inhambane, em regiões tão exclusivamente circunscritas a Inhambane, Maxixe, Massinga e Morrumbene e pouco mais, para que, aquela que é supostamente a mais “cambuta” das piri-piri, não tenha ultrapassado mais do que 1 cm, com bem maior ardencia e finíssimo aroma da filha !!! “sakana”.

Recordamos o facto histórico que pode estar na origem de tão estranha evolução, desta sub-espécie, quando se sabe que “Inhambane foi fundada por mercadores suaíles, tendo sido visitada pelos portugueses pela primeira vez em Janeiro de 1498, quando a armada de Vasco da Gama aí aportou para se abastecer . Os portugueses construíram uma feitoria fortificada em 1546, mas apenas foi definitivamente ocupada por Portugal em 1731″, período de tempo suficientemente dilatado para permitir a colonização da mãe Malagueta e as suas posteriores mutações genéticas.DSCF9588

Planta de porte erecto com estrutura bem mais consistente e altiva do que a mãe malagueta, ela revela a elegância em suas astes biforcadas e copa relativamente aberta. Facilmente atinge 1,5 m de altura por 0,75 de largura de copa. Folhas de coloração verde escuro de formato aristada de 15×10, pedicelo erecto, flores pequenas de 1 a 3 por nódulo, em posição perpendicular ao pedicelo de corola amarelo/esverdeada e anteras  rocho/acinzentadas  e frutos pequenos, também erectos, de 1,5 a 2,5 cm de comprimento por 0,3 a 0,5cm de diâmetro evoluindo na sua fase de maturação do verde ao vermelho.DSCF9582

É uma pimenta serôdia cuja produção se inicia aos cerca de 120 dias e a colheita entre 180 a 270 dias, após a sementeira.

Em Portugal e em todos os climas temperados deve ser semeada em Janeiro, preferencialmente, se o clima assim o permitir, mas sempre após as geadas ou na sua impossibilidade em estufa aquecida a temperatura não inferior a 15º.

Frutos bem picantes com uma média de 15 a 20 sementes de côr palha   cuja germinação ocorre em cerca de 30 dias, estendendo-se até aos 45 e mais dias.

fonte

texto: http://plantarecultivar.blogspot.com/2008_09_28_archive.html

Piri-Piri é uma palavra suaíli significando “pimenta-pimenta ‘referindo-se a quaisquer pimentas. Em Portugal, tem vindo a significar inflamados pequena pimenta, que se encontram enforcado em guirlandas em todos os mercados. Em circunstancia alguma, em algum restaurante do Algarve, é servida galinha sem a pergunta “Com piri-piri?” ou, Sem piri-piri?. Comerciantes Portuguêses terão levado as sementes para suas colônias Africanas de Angola e Moçambique. De lá, eles se espalharam por toda a África, juntamente com piri seu nome suaíli “-piri. Para completar o círculo, algumas das pequenas e quentes vagens foram trazidos de volta a Portugal, onde tem mantido seu nome suaíli até aos nossos dias.

Os comentários estão fechados.