pimenta, (jindungo), kuleketa I

nome popular – pimenta, jindungo-calequeta I
nome científico -capsicum frutescens
origem – Angola
pungência – Schoville Heat Units
 

  —NOVO —

  —DISPONÍVEL—
 
—em lotes de 11, 22, 44, 88, 176 e 352 sementes—
— cotação para lote 11 sementes, 5,90€—
—restantes lotes serão cotados proporcionalmente ao número de sementes sofrendo descontos de 10, 20, 30, 40 e 50%, respectivamente—
 
fonte
fotos 1, 2 e 3: http://www.ecologicstation.com
texto: http://www.ecologicstation.com

O jindungo  de Calequeta  (kuleketa)  tem bagas fusiformes, compridas,  contrariamente ao “De Cahombo” que se apresenta em formato esferico, irregular. Igualmente e em termos de picancia é mais agressivo  que o “De Cahombo”.

Planta atinge a altura de 0,75 a 1,00 de altura, com copa aberta, folhas de um verde escuro bem vincado de formato !!!, gerando flores grandes, uma por nó, de corola branca leitosa, sem manchas e anteras cinzento-azuladas, pedicelos erectos na floração,  e bagas pendentes de comprimento variável de 4,5 a 5,50 cm e largura 0,75 a 1,00 cm, de cor verde a vermelho intenso,de pele enrugada e formato fusiforme, irregular, concavos, de apice pontiagudo, em número de cerca de 20 a 30 por planta. Cálice maduro, sem constrição anelar na junção ao pedicelo. Sementes em número médio de 40 a 50 por fruto de côr palha com germinação tardia de 14 a 21 dias, por vezes mais até. Configura alguma antocianina nos nódolos, sem revelar qualquer outra evidencia na restante estrutura. Contrariamente à sua prima “sakana”, entra em produção bem mais cedo,  aos 120 dias o que confirma que, apesar de pertencerem à mesma família, são efectivamente pimentas completamente distintas. Outra caracteristica que emerge à vista mesmo dos menos atentos, é o posicionamente oposto dos frutos, erectos na “sakana”, pendentes na “kuleketa”.

www.ecologicstation.com

É de bom tom tomar alguns cuidados adicionais quando quiser introduzir na sua colecção alguma ou algumas das sub-espécies geradas a partir da malagueta e mesmo a própria malagueta, Fora do seu habitat natural, em climas temperados, elas convivem com alguma dificuldade, especialmente em anos com verões pouco prolongados. Proteja-as pulverizando semanalmente com sulfato de cobre, ou calda bordaleza

fonte
texto: https://www.pimentas.org/forum/viewtopic.php?f=12&t=3533

Jindungo é uma palavra oriunda do Quimbundo, uma língua Banta falada em Angola e designa a pimenta pertencente à família das Solanáceas e ao gênero Capsicum frutescens. Em Portugal e Moçambique as pimentas ardentes são chamadas gerericamente de Piri-Piri. Como as cultivares existentes hoje em dia são resultado de diversos cruzamentos ao longo dos anos, existem pequenas diferenças de tamanho, coloração e picância entre as variedades “primas”. Até  no Brasil, se formos a vários supermercados e feiras em busca de malaguetas, verificaremos que algumas são maiores do que as outras, ou mais claras ou mais “ardidas”. Mas quando nos referimos à Malagueta, à Piri-Piri e ao Jindungo, em geral estamos falando da mesma familia de pimentas.

A grande maioria das pimentas africanas descendem das pimentas brasileiras, introduzidas lá pelos portugueses durante a colonização. Com o passar dos séculos, os povos que as receberam foram seleccionando algumas características que mais lhes agradavam, o que originou novas variedades que, embora parecidas ao cidadão comum, aos olhos dos botânicos mostram-se diferentes, tanto no formato, tamanho e cor dos frutos, flores e plantas, quanto ao sabor e pungência. Eu cultivo a malagueta, a Jindungo (kuleketa) e a piri-piri (sakana), e posso garantir que, embora pareçam ser a mesma pimenta, na verdade são variedades distintas, ambas da mesma Espécie (C. frutescens).

Piri-Piri é uma palavra suaíli significando “pimenta-pimenta ‘referindo-se a quaisquer pimentas. Em Portugal, é o nome dado indiscriminadamente a todas as  pequenas pimentas, encontradas normalmente dependuradas em bancas em muitos mercados populares, especialmente no interior nordestino. Em circunstancia alguma, em algum restaurante do Algarve, é servida galinha sem a pergunta “Com piri-piri?” ou, Sem piri-piri?. Comerciantes Portuguêses terão levado as sementes para suas colónias Africanas de Angola e Moçambique. De lá, eles se espalharam por toda a África, juntamente com piri seu nome suaíli “-piri. Para completar o círcuito, algumas das pequenas e quentes vagens foram trazidos de volta a Portugal, onde tem mantido seu nome suaíli até aos nossos dias.

O jindungo, também conhecido por pimenta-malagueta, em Angola apresenta-se de duas formas, digamos que duas sub-espécies,  o “De kahombo”, maior, arredondado/ovalado e avermelhado e o “De kibundo” ou “calequeta”, “kuleketa” em dialéto kimbundu ou piri-piri, mais pequeno e pontiagudo

fonte
texto e foto: http://migascomgindungo.blogspot.com/2007/11/um-pouco-mais-de-gindungo.html

Este, é o gindungoCalequeta”, comprado a sul de Angola, na estrada que liga as províncias de Lubango-Namibe. Segundo a Maria, uma angolana radicada em Portugal para além de o ter comprado e degustado, semeou-o e conseguiu que desse fruto, uma vez por ano (o normal lá, será três vezes por ano).

O Calequeta, é comum em todo o país. Até na região do Alto Maiombe, em Cabinda,(terra dos papagaios,chipanzés e alguns, poucos, gorilas, para além do petróleo, muito!) o encontra.
Encontra-se em vários tamanhos: desde 1,5 cm a 4 cm, com vários graus de picante. O que é curioso é que em algumas regiões, Luanda por exemplo, o Calequeta alterou seu código genético (?) e passou a dar frutos mais pequenos (não mais do que 1 cm), de um vermelho escuro muito vivo, quando maduros, e super-picantes. Em Luanda chamam-lhe o gindungo kimbundu. É o mais apreciado e procurado. Com alguma sorte pode encontrá-lo nos mercados de São Paulo, Roque Santeiro e “17”, este a caminho das Palmeirinhas. Onde de certeza o encontra é na Funda, povoação a Norte de Luanda, ou no Caxito, ainda mais para cima. Se o encontrar atire sementes para um vaso, dê-lhes água e sol e vai ver que não se arrepende. Prepare-o pisando pouco os frutos bem maduros e misturando apenas azeite. Se o quiser menos picante junte uns ainda verdes.

CALEQUETA – jindungo comum, normal. Este, oblongo, é bastante picante, razão do seu epíteto, por alusão à circunstância de, com o ardor, se deitar a língua de fora – acto que, quando visando a prova de alimento , se denomina, em kimbundu, “kuleketa”.

Os comentários estão fechados.