pimenta, malagueta silvestre, malaguetinha caipira

nome popular – pimenta, malagueta silvestre, malaguetinha caipira
nome científico – capsicum annuum
origem – Brasil
pungência – 150.000 SHU-schoville Heat Units
 
 —NOVO—
—TEMPORARIAMENTE INDISPONIVEL—
 
—em lotes de 11, 22, 44, 88, 176 e 352 sementes—
— cotação para lote 11 sementes, 3,90€—
—restantes lotes serão cotados proporcionalmente ao número de sementes sofrendo descontos de 10, 20, 30, 40 e 50%, respectivamente—
 
fonte
foto
texto:

Popularmente conhecida por Malagueta silvestre, malaguetinha caipira, maguita-tuá-tua, Hot Pepper Malaguetinha, Pimienta Malaguetinha, (Capsicum frutescens). Seu fruto é uma baga com 1,0 cm de comprimento x 0,3 a 0,4 cm de diâmetro, suspensos na posição vertical. Coloração verde quando imaturos e vermelha intensa quando maduros. Diferencia das demais malaguetas pelo seu tamanho e alguns frutos mesmo que maduros apresentam tonalidade verde na ponta inferior. Possui Grau 150.000 na escala SHC, com pungência picante média a alta e aroma pouco acentuado. Esta variedade de pimenta destaca-se  por ser muito rica em capsaícina e com baixos teores de piperina, tornando seu consumo muito benéfico para o ser humano. Muito utilizada no Brasil em forma de molhos, podendo também ser usada como conserva.

 

 

fonte
texto: http://plantarecultivar.blogspot.com/2008_09_28_archive.html

A pimenta-malagueta silvestre, também conhecida no Brasil como malaguetinha caipira, destaca-se pela alta concentração da capsaicina e baixíssimos teores de piperina, o que faz com que seus efeitos no organismo humano sejam predominantemente benéficos. Além disso, seu sabor inconfundível e marcante e seu aroma agradável fazem dela a variedade mais apreciada e mais apropriada à maioria dos pratos. Contudo, é importante salientar que as espécies de pimenta comercializadas como sendo malagueta, via de regra são espécies híbridas, resultantes de cruzamentos realizados para desenvolver variedades mais produtivas, mais resistentes a pragas e menos atrativas aos pássaros e insetos, uma vez que a malaguetinha original é altamente susceptível a todos esses ataques.

A cultura popular no interior dos estados de Minas Gerais e de Goiás, no Brasil, identifica a maioria das variedades encontradas no comércio com rótulo de pimenta-malagueta, como sendo pimenta-café. Esta denominação decorre do aroma característico da fruta que se assemelha ao cheiro do grão de café em fase de secagem. Além disso, outra característica fundamental que difere a malaguetinha silvestre das espécies híbridas é o tamanho e a coloração do fruto. A variedade original apresenta um fruto menor do que as espécies mais comuns e, mesmo após amadurecido, o ápice do fruto preserva um tom levemente esverdeado.

fonte
texto: https://www.pimentas.org/forum/viewtopic.php?f=12&t=3533

Jindungo é uma palavra oriunda do Quimbundo, uma língua Banta falada em Angola e designa a pimenta pertencente à família das Solanáceas e ao gênero Capsicum frutescens. Em Portugal e Moçambique as pimentas ardentes são chamadas de Piri-Piri. Como as cultivares existentes hoje em dia são resultado de diversos cruzamentos ao longo dos anos, existem pequenas diferenças de tamanho, coloração e picância entre as variedades “primas”. Até aqui no Brasil, se formos a vários supermercados e feiras em busca de malaguetas, verificaremos que algumas são maiores do que as outras, ou mais claras ou mais “ardidas”. Mas quando nos referimos à Malagueta, à Piri-Piri e ao Jindungo, em geral estamos falando da mesma pimenta.

A grande maioria das pimentas africanas descendem das pimentas brasileiras, introduzidas lá pelos portugueses durante a colonização. Com o passar dos séculos, os povos que as receberam foram seleccionando algumas características que mais lhes agradavam, o que originou novas variedades que, embora parecidas, aos olhos dos botânicos mostram-se diferentes, tanto no formato, tamanho e cor dos frutos, flores e plantas, quanto ao sabor e pungência. Eu já cultivei a malagueta e a Jindungo e posso garantir que, embora pareçam ser a mesma pimenta, na verdade são variedades distintas, ambas da mesma Espécie (C. frutescens).

Piri-Piri é uma palavra suaíli significando “pimenta-pimenta ‘referindo-se a quaisquer pimentas. Em Portugal, tem vindo a significar inflamados pequena pimenta, encontrado enforcado em guirlandas em todos os mercados. Em circunstancia alguma, em algum restaurante do Algarve, é servida galinha sem a pergunta “Com piri-piri?” ou, Sem piri-piri?. Comerciantes Portuguêses terão levado as sementes para suas colônias Africanas de Angola e Moçambique. De lá, eles se espalharam por toda a África, juntamente com piri seu nome suaíli “-piri. Para completar o círculo, algumas das pequenas e quentes vagens foram trazidos de volta a Portugal, onde tem mantido seu nome suaíli até aos nossos dias.

O jindungo, também conhecido por pimenta-malagueta, em Angola apresenta-se de duas formas, o De kahombo, maior, redondo e avermelhado e o De kibundo ou piri-piri, mais pequeno e pontiagudo

Os comentários estão fechados.